Casa de Ramana

Como podemos ver, A Luz no Caminho - Associação Espiritualista atua não só nas questões de divulgação dos ensinamentos de Sri Bhagavan. A sua vertente assistencial, que tão singelamente é emoldurada pelo nome do Mestre – a Casa de Ramana, funciona, desde 1996, como asilo.

Para que você possa ter uma ideia do trabalho desenvolvido, apresentamos alguns dados relevantes do nosso perfil.

A partir do reconhecimento dos títulos de Utilidade Pública Federal [Decreto nº 86.238, de 30.6.1981, e Decreto (s/nº) de 27.5.1992], Estadual (Lei nº 134, de 24.5.1977) e Municipal (Lei nº 177, de 9.9.1980), a Casa de Ramana está registrada como “Entidade Beneficente de Assistência Social” junto aos Conselhos Nacional de Assistência Social (CNAS) e Municipal de Assistência Social da Cidade do Rio de Janeiro (CMAS/RJ). Cadastrada no Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (CEDEPI) e no Cadastro de Entidades de Utilidade Pública (CNEs/MJ).

Ainda com relação à legalidade para o funcionamento, a Casa cumpre normas da Subsecretaria de Controle de Zoonoses, Vigilância e Fiscalização Sanitária Municipal e dos Conselhos Regionais fiscalizadores das atividades dos profissionais contratados e/ou voluntários (CREMERJ, COREN, CRESS, CRN-4 e CREFITO).

 

No que diz respeito à modalidades de benefícios e estrutura organizacional, a Casa de Ramana está assim configurada:

 

1. Acolhimento De Longa Permanência (ILPI):

Acolhe, desde 15 de março de 1996, idosas sob risco social. As idosas abrigadas recebem acompanhamento médico, de enfermagem (24h/dia), de assistência social, nutricional, fisioterápico e psicológico, bem como alimentação, roupas e remédios; realizam atividades de arteterapia e musicoterapia, religiosas (ecumênicas), culturais e de lazer.

 

 

2. Atendimento Ambulatorial:

Além das anciãs residentes, a Casa também presta auxílio a idosos e seus familiares, inclusive crianças (até 12 anos), que recebem, aos segundos sábados de cada mês, além de avaliações clínica e psicossocial, cestas básicas, medicamentos, auxílio transporte, roupas, calçados, material escolar, brinquedos etc. Nesta modalidade ambulatorial, são beneficiados, no total, mais de 150 pessoas/mês.

 

 

3. Administração:

A Casa é administrada por Diretoria composta por 7 (sete) membros e Conselho Fiscal com 3 (três) Conselheiros titulares e suplentes, em igual número, todos voluntários, eleitos anualmente, em Assembleia de Associados e possui, em sua estrutura organizacional, diversos Departamentos supervisionados pelos Diretores. Cumpre ressaltar que todos estes envolvidos na administração da Casa não recebem qualquer remuneração ou vantagem pelo exercício dos seus cargos.

 

 

4. Equipe Técnica Multiprofissional:

  • médicos (inclui a médica Responsável Técnica junto ao CREMERJ);
  • enfermeira-chefe (Responsável Técnica perante o COREN);
  • 04 (quatro) técnicas de enfermagem (24h/dia);
  • assistente social (inclui a Responsável Técnica, no CRESS, e uma gerontóloga);
  • nutricionista (Responsável Técnica no CRN-4);
  • fisioterapeuta (Responsável Técnica no CREFITO);
  • psicólogo;
  • arteterapeutas/terapeutas ocupacionais.

 

 

5. Corpo de Voluntários:

A casa conta também com um programa de voluntariado, onde pessoas, que se engajam em nossa proposta de trabalho, dedicam parte de seu tempo para integrar e colaborar com a Equipe Técnica Multiprofissional.

 

 

6. Princípios norteadores:

6.1. Causa Assistencial:
Colaborar na inserção social de idosos e seus familiares.

 

6.2. Missão Assistencial:
Prestar assistência social, sem fins lucrativos, em benefício de idosos e seus familiares, inclusive crianças, em situação de vulnerabilidade social.

6.3. Valores:

  • União;
  • Comunhão de propósitos e deliberações;
  • Preservação de direitos e garantias dos idosos;
  • Observância da Lei;
  • Transparência da sua Administração;
  • Voluntariado.

 

6.4. Visão:
Ser reconhecida como instituição de referência, no Município do Rio de Janeiro, no atendimento sem fins lucrativos, a idosos e seus familiares em situação de vulnerabilidade social.

 

7. Principais Fontes de Sustentabilidade:

  • Associados – mensalidades e doações diversas, além de trabalhos voluntários;
  • Pessoas físicas – doações pecuniárias e em bens; trabalhos voluntários;
  • Pessoas jurídicas – doações pecuniárias e em bens;
  • Eventos e bazares beneficentes;
  • Recuperação parcial dos custos de acolhimento das idosas (até 70% do B.P.C., conforme previsto no Estatuto do Idoso);
  • União, Estado e Município do Rio de Janeiro (reconhecimento de imunidades e isenções tributárias diversas, devidamente amparadas pela legislação aplicável).

 

Para acompanhar nossas atividades e eventos, acesse o link: https://www.facebook.com/aluznocaminhooficial/