A História de A Luz no Caminho e da Casa de Ramana

A história da associação espiritualista teve início com a formação do Grupo Arunachala pelas amigas Leonides Doblins, Paulina Van Der Meer e Vanda Bastos, que se conheceram quando frequentavam as palestras ministradas por Mouni Sadhu, devoto de Bhagavan Sri Ramana Maharshi, no Rio de Janeiro. O nome do grupo foi inspirado na montanha sagrada onde o mestre viveu durante mais de cinquenta anos.

A principal proposta das três mulheres era estudar e traduzir para o português as obras publicadas sobre o Maharshi. A primeira reunião aconteceu em 1960 e ao final deste mesmo ano uniu-se ao grupo a Sra. Daura Silva França que, tendo perdido a fala ao sofrer grave acidente, viu-se curada após sonhar com um mestre desconhecido. Mais tarde, Daura identificou esse mestre como Bhagavan Sri Ramana Maharshi.

Conforme se aprofundava nos ensinamentos de Ramana, Daura sentia a necessidade de erguer um templo para divulgá-los a um número maior de pessoas. Para concretizar sua inspiração, ela conseguiu reunir as 50 pessoas necessárias para fundar A Luz no Caminho – Associação Espiritualista, nome dado em louvor à luz que surgira em seu caminho e que a curara. Em 3 de maio de 1972, brilhava a estrela de A Luz no Caminho.

Tendo em vista a expansão dos departamentos de Assistência Social e de Corte e Costura da associação, a diretoria começou a pensar na possibilidade de adquirir outro imóvel, que pudesse abrigá-los e que fosse dotado de espaço suficiente para realização de eventos. Em fevereiro de 1995, A Luz no Caminho adquiriu o imóvel nº 55 da Rua Juiz de Fora, no Grajaú, onde instalou a Casa de Ramana.

A princípio, a casa foi ocupada pelos dois departamentos e, em março de 1996, chegaram as sete primeiras vovós que fariam dela o seu lar. Elas vinham da Casa de Amigos, gerida pelos Jovens de Ramana na época e cuja estrutura havia sido abalada por causa das chuvas e condenada pela Defesa Civil. Para funcionar como um asilo foi preciso cumprir cada uma das exigências feitas pelas autoridades competentes.

Hoje, a Casa de Ramana é uma realidade e vem a público contar estes fatos a fim de que mais pessoas possam se juntar a ela e continuar a construir essa bela história de amor.
Face à seriedade de conduta, aos resultados obtidos e diante da regular prestação de contas, "A Luz no Caminho - Associação Espiritualista" foi reconhecida pelo Poder Público através da titulação de Utilidade Pública conquistada por quem oferece iniciativas de auxílio com o nível de comprometimento e realização alcançados:
o Utilidade Pública Federal - Dec. 86.238/81, publicado no Diário Oficial da União e em 31 de julho de 1981, renovada anualmente.
o Utilidade Pública Estadual - Lei Estadual 134/77 de 24 de maio de 1977, renovada anualmente.
o Utilidade Pública Municipal - Lei Municipal 177 de 9 de setembro de 1980.
o Entidade de Fins Filantrópicos - Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS em 1983, renovada anualmente.
o Inscrição no Conselho Municipal de Assistência Social, renovada em biênios.
o Inscrição na Secretaria de Estadual de Saúde e Vigilância Sanitária, renovada anualmente.