Prece no meio da noite da Alma

Naquele dia, reunidos à volta do Mestre, eles procuravam entre olhares e palavras sussurradas, descobrir quem seria o traidor. E houve também contenda entre eles para descobrir quem parecia ser o maior.

E Ele lhes disse: “Os reis dos gentios governam sobre eles. Mas não sereis vós assim. Antes, o maior entre vós seja como o menor, e quem governa, como quem serve. Pois qual é o maior? Eu porém entre vós sou como quem serve.” (Evangelho de Lucas)

Quando a madrugada chegou e a luz buscava romper as trevas, Ele estava só. Quando se ergueram as vozes e as espadas, quando O coroaram de espinhos e O crucificaram, os doze homens não estavam ao seu lado chamando-O de Mestre. Apesar de tudo e acima de tudo, no dia da Ressurreição, Ele fez com que todos soubessem que o governante manso, que sabia servir e calar na sua solidão era Cristo liberto.

Ressuscita, Senhor, quem perdeu a fé em Teu semblante.

Ressuscita a doçura de quem recorre à afronta.

Ressuscita a sinceridade de quem cede à hipocrisia.

Ressuscita a união em quem só fragmentou.

Ressuscita o ajuste no desajustado e a misericórdia em quem é afoito em condenar.

Ressuscita o silêncio dos que falam sem saber o que dizem e sem conhecer o coração de quem os ouve.

Ressuscita, Senhor, a razão primeira da fé.

Ressuscita o momento do parto de Tua Luz.

Traz a vida a quem se perde na luta morta de fama e poder. Senhor, que a purificação das velhas formas de viver e conviver repousem no túmulo de todos os “ontens”. Que a aurora seja mais aurora após uma noite no Horto das Oliveiras de nossos egos.

Crucifica a errônea crença de que Deus rege a dor e o sacrifício. Deus é feliz, Senhor! Ressuscita-nos para esta certeza e então todo alimento será teu corpo e o vinho da celebração parte de Ti.

Ressurreição é a Vitória sobre a morte! ALELUIA!