A Vida: de Ensaio à Estreia

Se temes viver, ouve estas palavras:

“Todo homem que se esquivar de viver, pagará com a própria vida pelo seu temor.

Estão os homens sempre se preparando para a vida e deixam o corpo antes que estejam prontos. Preparam-se, mas não vivem... Absorvem filosofias e não as executam. Ensaiam eternamente a estreia que jamais acontece. Por quantos renascimentos isso persistirá?

Há quem prepare as condições materiais para a vida, esquecendo-se de saudar as oportunidades de crescimento durante a ilusória preparação. A preparação é uma fuga, esteja alerta!

Há quem se prepare para a velhice, a maternidade, o amor, o serviço e o futuro. Enquanto isso, o presente padece esquecido entre a véspera e o dia seguinte.

A vida é um divino dom que já está pronto. Apenas participe. Esta é a verdadeira atitude religiosa: ver o agora como sendo a chave para o Ser e ter o aqui como o único lar. Outros momentos ou lugares são miragens, ficções e passagem certa para enganos.

Aos ouvidos do ego, tal atitude é um suicídio. É melhor continuar a se enganar que existe o emprego ideal, o dinheiro que assegura a paz, a alegria na ilusão, o amor sempre primavera e o sucesso. É mais cômodo preparar-se a vida inteira para conquistar tais joias falsas.

Fé é seguir estrada afora sem cordas ou provisões de viagem. Fé é saber que, por amor, o necessário nos é dado a cada segundo.

Vive pois o teu milagre. Ressuscita o teu Lázaro. Transforma tua água em vinho. Transfigura-te, cristicamente, em todas as situações.

Abraça teu amigo agora sem perguntar-lhe de onde vem e para onde vai. Tudo flui rumo ao discernimento, sabedoria e crescimento.

Lembra-te de que ninguém é chamado Mestre por ter evitado as pedras do caminho e sim por haver conhecido e abençoado, com a paz dos Sábios, todas elas.

Na vida, não há ensaios. Tudo é constante estreia!”

Agora, eis o mantra do Liberto: HARI!