A Vida: de Ensaio à Estreia (2)

Vida, insistes em me mostrar que és uma brincadeira.

Mostra-me como despojar-me de minha seriedade.

Para conhecer os teus mistérios, devo olhar-te com diversão?

Diz-me: porque não ficas comigo como quem brinca com o ar, com o vento... Por que insistes em me encarar como aquilo que destrói, que fere? Por que insistes em me encarar como um jogo de vida e morte? O que existe de sério na morte? O que existe de sério na vida? O que aconteceu para que tenhas te esquecido de como brincar?

Olha! Olha para a palavra que me expressa. O que há de sério nela? Olha bem e verás como ela te convida para voar, brincar, vibrar. Ser feliz. Sempre.

Olho para ti, oh vida! Não penses que desisti. Consegues entender o encanto que vejo em ti. Quero ver-te de luz acesa. Quero olhar-te frente a frente e depois cair em teus braços. Alguns podem chamar-te de sedução, outros de Amor...

Espera-me porque eu te amo. Já conheceste durante toda a tua vida amor mais insistente? Amor imaculado, amor onde não há mais quem ama. Não sei se eu te sigo ou és tu quem me segues, pois quando canso, tu gritas por mim. E quando te cansas, eu vou a ti.

Olho para as tuas letras e brinco. E agora, Vida, imploro-te para que continues junto a mim, pois sei que um dia toda essa minha seriedade aprenderá a magia que existe em tua eterna brincadeira. E pelo menos nesse momento, vou deixar as palavras livres, como elas vieram: saltitando, com alegria e certeza de Viver ...

AQUI FICA O CONVITE PARA VER A VIDA COM MAIS SIMPLICIDADE, COMO ELA É EM VERDADE.